Script data e hora digitais

Por melhorias trabalhistas, servidores fazem ato em Maceió no 'Dia do Basta'

Servidores públicos se reuniram, na manhã desta sexta-feira (10), no Centro da cidade, para celebrar o "Dia do Basta", com uma paralisação nacional. No início da manhã, membros do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas (Sinteal) fizeram uma mobilização na Avenida Fernandes Lima, no bairro do Farol. 

Insatisfeitos com políticas implantadas pelo Governo Federal, os trabalhadores da Educação seguravam faixas no meio da pista, todas as vezes em que o sinal fechava. Antes disso, chegaram a visitar algumas escolas do Centro Educacional de Pesquisas Aplicadas (Cepa), conscientizando os trabalhadores. 

"Somos contra toda essa política de retrocesso que vem acontecendo em nosso país, contrária ao Estado Democrático de Direito. É um dia de as pessoas estarem nas ruas, ecoando suas vozes e dizendo não a esse governo golpista do Michel Temer, que está destruindo o Brasil", externou a presidente do Sinteal, Maria Consuelo. 

Mobilização acontece no Farol e vai seguir para o Centro ao longo da manhã

Após o manifesto pacífico, os trabalhadores seguiram em caminhada pela Avenida Fernandes Lima, em direção do Centro de Maceió, deixando o trânsito um pouco lento. Em frente ao prédio do antigo Produban, eles vão se juntar a outros sindicatos que estão empenhados na luta por melhorias em todos os setores da sociedade. 

Segundo Consuelo, políticas dessa forma estão "levando o povo brasileiro à miséria". "Vemos, a cada dia, uma crescente de desemprego, pessoas passando fome, perambulando pelas ruas. Queremos dialogar com a sociedade para que as pessoas entendam isso e, em outubro, saibam muito bem o que fazer com seu voto, para que possam identificar o melhor para o nosso país e nosso estado", reforçou a sindicalista. 

Na ocasião, Consuelo criticou a Emenda 95, que impõe um ajuste fiscal por 20 anos, o qual não vai permitir reajuste acima de ganho real para os trabalhadores, concurso público e implementação de políticas educacionais. Para ela, a emenda "fere de morte" o povo. 

 

 

Maria Consuelo também falou sobre a greve dos servidores públicos municipais. De acordo com ela, uma reunião foi realizada na última terça-feira (7), na Câmara de Vereadores, a fim de avançar nas negociações. A prefeitura, porém, disse que não tem como melhorar a proposta, e não houve avanço nenhum, conforme assinalou. 

"Na terça, faremos uma nova assembleia para encaminhamentos. Um feito que conseguimos foi o fato de a greve ser julgada legal. É algo inédito na história das nossas greves, e conseguimos, mesmo com a determinação de manter 63% dos trabalhadores da Educação em atividade para que as escolas permaneçam funcionando", destacou Consuelo. 

A presidente do sindicato, por sua vez, disse que a categoria vai discutir como cumprir a determinação da Justiça. A categoria foi notificada ontem e vai dialogar com a base para saber como organizará o espaço com o percentual determinado pela Justiça. "Sabemos que decisão judicial não se discute, se cumpre, e vamos procurar a melhor forma de organizar esse calendário". 

Chamado "Dia do Basta", o ato acontece em todo o país, através de uma paralisação nacional. O objetivo é "dizer basta" ao desemprego, ao preço abusivo do combustível e do gás de cozinha, às políticas implementadas pelo Governo Federal, como a reforma do Ensino Médio e a retirada da aplicação de recursos do pré sal na Educação. 

 

 

Por: Larissa Bastos FOTOS e Jobison Barros


Ivaldo José Fragoso Ribeiro
Diretor Administrativo e Comercial
ivaldofragosomalandrinho@gmail.com

Antônio Guimarães
Jornalista Responsável

CNPJ: 03.135.085/0001-03
CCM - 900763591
(82) 99617.4108 / 99304.3673